Artigo: Como reduzir a inadimplência do negócio

27.09.2017

Seis dicas que devem ser seguidas

Como reduzir a inadimplência do negócio

 

Marcos Roberto Rosa

coordenador do curso de

Ciências Contábeis da Fatenp

 

A inadimplência de empresas mantém a tendência de alta, resultado da desaceleração da economia nacional: em julho (último dado disponível), o crescimento foi de 3,31%, em comparação ao mesmo período de 2016, segundo o SPC Brasil e Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (SPC/CNDL).

Para pequenas e médias empresas, os pagamentos em atraso podem reduzir significativamente o fluxo de caixa e forçar a tomada de empréstimos a taxas muito altas, colocando em risco a saúde financeira do negócio.

O planejamento financeiro da empresa deve focar em diminuir a taxa de inadimplência e, assim, evitar o endividamento. Quer saber como?

 

Verifique os serviços de análise de crédito: Esta medida simples serve para descobrir a situação financeira do cliente, revelando se há pagamentos em aberto com outras empresas, se existem processos pendentes ou outros problemas. Agindo assim, é possível avaliar a situação de cada cliente e determinar se a venda é ou não adequada. Como a situação dos clientes muda constantemente, as consultas devem ser frequentes.

Tenha sempre à mão o histórico do cliente:Mesmo os controles manuais, feitos em planilhas, se mostram eficientes para verificar o histórico de seus clientes e diferenciar quem sempre pagou corretamente dos inadimplentes habituais. Muitas vezes, um cliente com um histórico de pagamento ruim, não deve ser mantido.

Valorize os bons pagadores:Saber “separar o joio do trigo” não é apenas útil para fins de acompanhamento, mas também pode servir como um estímulo para conceder descontos a pagamentos antecipados ou outras formas mais flexíveis de recuperação. Oferecer alternativas para quem realmente tem um problema pontual e não pode cumprir a data de vencimento deve ser parte da estratégia.

Utilize um sistema de cobrança eficaz:Para evitar o aumento das dívidas, use um sistema de cobrança eficiente, que dê um alerta padrão no primeiro dia de atraso, sendo sempre gentil e ético na reivindicação. Em casos extremos, a melhor coisa a fazer é obter pelo menos parte do valor e renegociar o restante, evitando longas e custosas batalhas judiciais.

Emita sempre a Nota Fiscal:Em um primeiro momento ela serve para facilitar o controle da empresa sobre as receitas. No caso da inadimplência há um agravante: sem nota fiscal, a empresa não tem como entrar com uma ação legal contra o devedor.

Gerencie suas finanças:Parece óbvio, mas muitos pecam neste ponto. Um bom controle financeiro é essencial para o sucesso de qualquer negócio, o acompanhamento minucioso das contas a pagar e receber faz toda a diferença. Em alguns casos, a desorganização do caixa (entradas e saídas de dinheiro) pode fazer com que as dívidas permaneçam “escondidas” por algum tempo, o que pode causar grandes problemas para sua empresa, caso já exista uma perda financeira. Investir em um software de gestão financeira é uma ação sempre recomendável. Na dúvida, consulte um profissional da área.

Foto: meubolsofeliz.com.br

Visualizar todos