Encerra greve dos transportadores de valores

12.07.2012

Do Portal RedecomSC

Acabou agora há pouco o julgamento do dissídio coletivo que trata da greve no setor de guarda e transporte de valores em Santa Catarina. Os desembargadores da Seção Especializada 1 confirmaram a legalidade da greve e mandaram as empresas pagarem pelos dias parados e multaram por litigância de má-fé em R$ 4 mil - 20% do valor da causa.
 
Isso porque as empresas tentaram induzir o Judiciário a erro ao afirmar que a greve havia começado em data anterior ao que efetivamente ocorreu (2 de julho), com objetivo de obter liminar. Além disso, as empresas terão de pagar o INPC integral de 4,88% acumulado no período.

Escolta Armada
 
Uma das novidades é que o pessoal da escolta armada também será abrangido pela Convenção, fazendo jus ao mesmo piso dos motoristas que conduzem os carros-forte. Outra inovação foi a criação de um adicional de quebra de caixa de 20% sobre o salário, que consiste numa espécie de seguro pago ao trabalhador que lida diretamente com dinheiro. 
 
A indenização por risco de vida também passa a ser paga ao pessoal de escolta armada, além dos vigilantes de guarita, vigilantes chefe de equipe, vigilantes-motoristas e vigilantes de carro-forte. O percentual continua o mesmo, de 30%. 
 
Os desembargadores também determinaram que as empresas registrem a jornada do trabalho dos empregados ocupantes de função comissionada. Na convenção anterior, elas estavam dispensadas de fazer isso.
Visualizar todos