Pesquisa revela aumento de famílias endividadas no país

19.07.2012

 

 
O percentual de famílias brasileiras endividadas cresceu em junho, segundo levantamento divulgado ontem, pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). A pesquisa revelou que 46,5% dos consultados em junho afirmaram estar endividados. Segundo o levantamento, a dívida média das famílias em junho era de R$ 4.943,88 e para 14% das famílias, ela correspondia mais de cinco vezes a renda mensal e para 21%, o débito estava entre duas e cinco vezes a renda familiar.
 
O levantamento do Ipea apontou ainda que 9,1% das famílias se consideram muito endividadas; 19,4% dizem estar mais ou menos endividadas; e 18,1% se dizem pouco endividadas. Além disso, entre as famílias pesquisadas, 30,46% disseram ter contas em atraso; e destes, 33,03% alegam não ter condições de quitar plenamente as dívidas em questão.
 
SC
 
Em Santa Catarina, segundo a Pesquisa de Inadimplência do Consumidor (PEIC) de junho, realizada pela CNC e Fecomércio, o endividamento e a inadimplência das famílias diminuíram. De acordo com a pesquisa, o percentual em junho, ficou em 86,9%, sendo que no mesmo período de 2011, era de 91%, e em maio foi de 88,2%. Uma análise da pesquisa aponta que esta diminuição mostra que as famílias estão quitando seus compromissos financeiros e que esse fato viabiliza a expansão de crédito prevista para o segundo semestre.
 
Na análise feita pelos tipos de dívidas, a pesquisa mostra que em junho o cartão de crédito se consolidou como principal forma de endividamento das famílias catarinenses, responsável por uma fatia de 59,1%. Em segundo lugar está o financiamento de carros (20,1%), seguido pelos carnês (8,8%) e o financiamento de casas (5,5%).
 
Inadimplência
 
De acordo com pesquisa realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), em junho deste ano, a inadimplência geral média no comércio de Chapecó é baixa e situa-se em 1,03%. Além disso, o perfil do inadimplente revela que 57% são mulheres e 43% são homens e os maiores registros são de pessoas solteiras (64%). No estado de Santa Catarina, a pesquisa apontou o índice de 2,25% no mesmo período.
 
De acordo com o administrador Jorge Caresia, palestrante do curso “Análise de Crédito”, promovido esta semana pela CDL, no país cerca de 10% da população está inadimplente. “O uso do cheque, por exemplo, caiu em desuso nos últimos anos por engrossar o número de maus pagadores”, afirma.
 
De acordo com Caresia, em 2011 foram emitidas no país em torno de um bilhão de folhas de cheques, o que representa um terço do emitido em 2007. “A regra para evitar dor de cabeça é efetuar uma venda com segurança e não deixar para depois definir como receber. Antigamente, de cada 100 cheques que iam para o banco dois voltavam. Em 2012, esse dado aumentou para seis, ou seja, ampliou dez vezes”, alerta
Visualizar todos