[Projeto Eleições 2018] Primeira Prévia Eleitoral

24.11.2017

Se a eleição fosse hoje?

A pergunta que dá título à matéria foi repetida 1.008 vezes pelos pesquisadores do Instituto MAPA, contratada pelo pool de comunicação formado pelo Grupo RIC, em parceria com a Associação de Diários do Interior (ADI-SC) e SC Portais, para realizar a primeira prévia eleitoral do Projeto Eleições 2018. Os entrevistados foram selecionados em pontos de maior fluxo de bairros de 40 municípios das seis mesorregiões do estado, tendo como critério as cotas determinadas de acordo com a proporção da população quanto a: gênero, faixa etária, escolaridade e população economicamente ativa e não ativa (bases IBGE e TRE-SC). As entrevistas foram feitas no período de 15 a 20 de novembro de 2017. A margem de erro amostral máxima é de 3,1 pontos percentuais para os resultados apresentados pelo total da amostra pesquisada (1.008 casos), dentro de intervalo de confiança de 95%.

(O texto abaixo, com maior detalhamento, foi publicado na edição de hoje do jornal Notícias do Dia, meio impresso do Grupo RIC)

 

Os cenários para as eleições ao governo do Estado em Santa Catarina, além da preferência catarinense na corrida à Presidência da República foram testados junto ao eleitorado pelo Instituto Mapa, em pesquisa contratada pelo Grupo RIC e pela ADI-SC (Associação dos Diários do Interior). Também foram medidos os índices de rejeição aos candidatos e a avaliação do atual governador estadual. Os números foram apresentados ontem no RIC Notícias, da RICTV e estão detalhados nesta edição. Esta é primeira de uma série de pesquisas realizadas dentro projeto de eleições do Grupo RIC.

Amanhã serão apresentados os números da corrida ao Senado. Dois cenários foram simulados para as eleições do governo do Estado catarinense. Em um deles, o senador Paulo Bauer (PSDB) lidera isolado. Na sequência estão o deputado federal Mauro Mariani (PMDB) e o deputado federal Décio Lima (PT), empatados com o mesmo percentual. Fecha a composição o deputado estadual Gelson Merisio (PSD), também em empate com os demais, dentro da margem de erro, de 3,1 pontos. Na outra simulação, com o deputado federal Esperidião Amin (PP) e sem Merisio, Amin passa para a liderança isolada. Os demais também estão empatados na margem de erro. Lima tem a maior rejeição entre todos os nomes citados e, Merisio, a menor.

Conforme análise do Instituto Mapa, Bauer e Amin estão “calçados em recall de eleições majoritárias anteriores”. Já Mariani, Lima e Merisio são pré-candidatos ainda não estadualizados, com “percentuais aproximados entre si, mas distantes dos líderes”. Uma avaliação da atual administração do Estado também foi proposta aos entrevistados. Quanto à satisfação geral com o governo de Raimundo Colombo (PSD), a maioria considera “regular”. Os conceitos positivos, somando avaliações “ótimo” e “bom” são maiores que os negativos, que agregam “péssimo” e “ruim”. Quando a pergunta é sobre a aprovação, a maioria “aprova”. A pesquisa foi realizada pelo Instituto Mapa e contratada pelo Grupo RIC e pela ADI-SC. Foram ouvidos 1.008 eleitores em 40 municípios de seis regiões do Estado, entre os dias 15 e 20 de novembro.

A margem de erro é de 3,1 pontos percentuais e o intervalo de confiança é de 95%. Dos pré-candidatos à Presidência da República, o deputado federal Jair Bolsonaro (PSC) lidera de forma isolada nos dois cenários simulados em Santa Catarina. No primeiro deles, é seguido pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Estão empatados dentro da margem de erro o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), a ex-senadora Marina Silva (Rede) e o senador Álvaro Dias (Podemos). No outro cenário, quando o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) substitui Lula, Marina assume a vice-liderança e Ciro supera Alckmin, mas todos continuam empatados na margem de erro, exceção a Bolsonaro. Lula tem a maior rejeição e Dias a menor. Até o momento, todos os nomes apresentados são de pré-candidatos.

As convenções para definir as candidaturas ocorrerão entre 20 de julho e 5 de agosto de 2018 e as chapas deverão ser inscritas até o dia 15 de agosto. Dentre os 45 dias de campanha eleitoral, a propaganda em rádio e televisão terá 35 dias. O primeiro turno das eleições será em 7 de outubro de 2018. Um eventual segundo turno será no dia 28 do mesmo mês. O eleitor votará seis vezes: para presidente, governador, deputado federal, estadual e duas vezes para senador.

Editoria de Política - ND/Grupo RIC

Arte de Rogério Moreira/ND

Visualizar todos